Dicionário do Pensamento Marxista: Feminismo

COMPARTILHE:
Share

O lugar do feminismo no pensamento marxista é objeto de controvérsia. Pode-se argumentar, de um lado, que o feminismo – considerado como a igualdade entre as mulheres e os homens – é essencialmente uma doutrina do liberalismo e do Iluminismo, que pouco deve ao marxismo revolucionário. Por outro lado, tem-se afirmado que a libertação das mulheres da opressão e da exploração só poderá ser conseguida como parte da libertação humana que só a revolução socialista poderia proporcionar.

Certamente é preciso identificar tendências historicamente muito diferentes no feminismo. Na Inglaterra e nos Estados Unidos, a tradição mais antiga é a do feminismo democrático, voltado para a conquista de direitos e oportunidades iguais para as mulheres. Essa militância culminou com as lutas do início o século XX, pelo direito de voto para as mulheres. Uma segunda tradição dominante no feminismo pode ser identificada pelo seu caráter mais “separatista”. Essa tendência do pensamento feminista inclina-se para o pessimismo na questão da diminuição da brutalidade masculina e aconselha a criação de comunidades de mulheres e o fortalecimento das relações das mulheres entre si. Uma terceira corrente do feminismo associa a luta pela libertação da mulher com as perspectivas socialistas mais gerais e com a política socialista. É importante observar que o movimento feminista contemporâneo na Grã-Bretanha foi influenciado politicamente pelo socialismo utópico, pelo pensamento libertário, pelo maoísmo, pelo anticolonialismo e pelo anarquismo. O “despertar da consciência”, por exemplo, é uma estratégia fundamental do feminismo de hoje, devendo muito a Fanon e a Mao.

Marx oferece, em seus escritos, pouco estímulo ao feminismo. Engels, por outro lado, além de ter produzido uma análise da família que exerceu enorme influência, adotou uma atitude mais auspiciosa [favorável] para com o feminismo. Embora os marxistas tenham, com frequência, considerado o feminismo como um “desvio burguês” do caminho revolucionário, ao passo que as feministas, muitas vezes acusaram o marxismo de ignorar a igualdade de gênero, há uma base para simpatia mútua e aliança entre marxismo e feminismo. Fora do pensamento feminista, não há nenhuma tradição de análise critica da opressão das mulheres que se possa comparar à atenção dada por vários pensadores marxistas. Lenin, Trotski e Bebel, em particular, desenvolveram o trabalho de Engels nessa área.

A história do feminismo no movimento comunista pode ser acompanhada pelas biografias e mulheres como Klara Zetkin e Alexandra Kollontai. Pode-se demonstrar, certamente, que o feminismo é tratado com mais respeito nos programas políticos inspirados pelo marxismo do que nos regimes recentemente instalados no poder com base em qualquer modalidade de fundamentalismo religioso. As políticas públicas de sociedades que procuram implementar uma transição para socialismo em termos marxistas atribuíram, invariavelmente, considerável peso à emancipação das mulheres.

Contribua com o Resumo da Obra

Bibliografia:

BOTTOMORE, Tom. Dicionário do pensamento marxista. Trad. de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

Rolf Amaro

Nascido em 83, formado em Ciências Sociais, músico, sempre ando com um livro na mão. E a Ana,minha senhora, na outra.

More Posts

Follow Me:
Twitter

Desabafos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.