O Povo Brasileiro: Assimilação ou Segregação

 

Resumo do capítulo 3 da parte III de O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro. Bons estudos!

RAÇA E COR

A análise do crescimento da população brasileira e de sua composição segundo a cor é altamente expressiva das condições de opressão que o branco dominador impôs aos outros componentes. Considerada a composição da população em 1950, verifica‐se que os índios de vida tribal estavam reduzidos a cerca de 100 mil (Ribeiro 1957); os negros terão alcançado um máximo de 5,6 milhões; enquanto os que se definem como pardos (mulatos) seriam 13,7 milhões;  e os brancos (que são principalmente mestiços) ascenderiam a 32 milhões. Continue reading

História da África, I: A Arqueologia da África e Suas Técnicas – Processos de Datação

Este é o resumo do capítulo 9 de História Geral da África, organizado pela UNESCO. Boa leitura!

Ao descobrir um artefato, o arqueólogo geralmente começa a estudá-lo através de meios puramente arqueológicos, como o registro da camada em que foi encontrado, a leitura do texto que o acompanha, a descrição de sua forma, o cálculo de suas dimensões, etc. Na maioria dos casos, entretanto, o arqueólogo não consegue encontrar os dados capazes de fornecer uma resposta às suas perguntas ou ajudá-lo a chegar a conclusões satisfatórias. Quando isso acontece, ele tem de submeter sua descoberta a outras disciplinas, para completar a investigação. Continue reading

Teoria Geral do Direito e Marxismo – Relação e Norma

A relação jurídica é a célula central do tecido jurídico e é somente nela que o direito realiza o seu movimento real. Em contrapartida, o direito enquanto conjunto de normas é apenas uma abstração sem vida. Continue reading

História Geral da África, I: A Tradição Viva

História da África

Leia todos os resumos de História Geral da África

Quando falamos de tradição em relação à história africana, referimo-nos à tradição oral, e nenhuma tentativa de penetrar a história e o espírito dos povos africanos terá validade a menos que se apoie nessa herança de conhecimentos de toda espécie, pacientemente transmitidos ao longo dos séculos. Essa herança ainda reside na memória da última geração de grandes depositários, de quem se pode dizer são a memória viva da África. Continue reading

O Capital no Século XXI: Introdução

Introdução

O crescimento econômico moderno e a difusão do conhecimento tornaram possível evitar o apocalipse marxista, mas não modificaram as estruturas profundas do capital e da desigualdade. Quando a taxa de remuneração do capital ultrapassa a taxa de crescimento da produção e da renda, como ocorreu no século XIX e parece provável que volte a ocorrer no século XXI, o capitalismo produz automaticamente desigualdades insustentáveis, arbitrárias, que ameaçam de maneira radical os valores de meritocracia sobre os quais se fundam nossas sociedades democráticas. Continue reading