O Capital: Processo de Trabalho e Processo de Valorização

COMPARTILHE:
Share

Resumo de O Capital – Processo de Trabalho e Processo de Valorização, capítulo 5 da obra de Marx. Bom estudo!

  1. O processo de trabalho

A utilização da força de trabalho é o próprio trabalho. O comprador da força de trabalho a consome ao fazer trabalhar o vendedor dela. A produção de valores de uso não muda sua natureza geral por se realizar para o capitalista e sob seu controle. Continue reading

O Capital: Transformação do Dinheiro em Capital

COMPARTILHE:
Share

Resumo de O Capital – O Dinheiro ou Circulação de Mercadorias. É o capítulo 3 do livro de Karl Marx. Boa leitura!

  1. A fórmula geral do capital

A circulação de mercadorias é o ponto de partida do capital.

Dinheiro como dinheiro e dinheiro como capital diferenciam-se primeiro por sua forma diferente de circulação. Continue reading

O Capital: O Dinheiro ou a Circulação de Mercadorias

COMPARTILHE:
Share

Resumo de O Capital – Dinheiro ou a Circulação de Mercadorias. É o capítulo 3 da obra de Karl Marx. Boa leitura!

1. Medida dos valores

A fim de simplificar, pressuponho sempre neste escrito o ouro como a mercadoria monetária. A primeira função do ouro consiste em representar os valores das mercadorias como grandezas de mesma denominação, qualitativamente iguais e quantitativamente comparáveis. Continue reading

O Capital: O Processo de Troca

COMPARTILHE:
Share

Resumo de O Capital – O Processo de Troca. Segundo capítulo do livro de Karl Marx. Boa leitura!

As mercadorias são coisas. Para que essas coisas se refiram umas às outras como mercadorias, é necessário que os seus guardiões se relacionem entre si de tal modo que um, somente de acordo com a vontade do outro, se aproprie da mercadoria alheia enquanto aliena a própria. Continue reading

O Capital: A Mercadoria

COMPARTILHE:
Share

Resumo de O Capital – A Mercadoria. É o primeiro capítulo do livro de Karl Marx. Boa leitura!

Os dois fatores da mercadoria: Valor de uso e valor (substância do valor, grandeza do valor)

A riqueza das sociedades em que domina o modo de produção capitalista aparece como uma imensa coleção de mercadorias. Nossa investigação começa, portanto, com a análise da mercadoria.

A utilidade de uma coisa faz dela um valor de uso. Na forma de sociedade a ser por nós examinada, eles constituem, ao mesmo tempo, os portadores materiais do valor de troca. Observemos a coisa mais de perto. Continue reading